Agenda do ministro Blairo Maggi inclui a inauguração oficial da Casa do Agro em Macapá

Sede da Casa do Agro, no Centro de Macapá | Foto: Juan Monteiro

Blairo Maggi fará a inauguração oficial da Casa do Agro, neste dia 05 de dezembro, em Macapá, em encontro com o setor produtivo do estado no momento em que será celebrada a saída do estado da área de risco da febre aftosa.

 

Juan Monteiro, da Redação.

 

A agenda do Ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Blairo Maggi, acontecerá em dois momentos, sendo o primeiro às 09 horas, na sede do Sebrae-Amapá, momento em que fará o anúncio oficial e certificação do Amapá livre da aftosa com vacinação. O segundo momento será às 15 horas, com a inciativa privada, para a inauguração da Casa do Agro, um instituto formulado para desenvolver o agronegócio e pensar as políticas agropecuárias nos Amapá.

Durante quase 50 anos, o Estado do Amapá esteve dentro da área considerada como risco para a febre aftosa e proibido de vender os produtos derivados de gado para outros estados e países, além de comprometer todo o mercado nacional que vendera carne por preço inferior aos demais países exportadores, reduzindo a lucratividade dos produtores brasileiros.

As políticas do setor agropecuário, incluindo as que dizem respeito à febre aftosa, só começaram a ser transformadas a partir da organização de instituições representativas dos produtores, passando a nortear a resolução de gargalos históricos por meio de diálogo e reinvindicações junto ao poder público e iniciativa privada, fruto do desenvolvimento de estratégias de articulações técnicas, institucionais e políticas.

No contexto do agronegócio amapaense, destaca-se a Casa do Agro, instituto criado para contribuir com o desenvolvimento do setor no estado do Amapá e representa a união das duas mais importantes instituições privadas do agronegócio do estado, a Associação dos Produtores de Soja e Milho do Estado do Amapá – APROSOJA-AP, e a Associação dos Criadores do Amapá – ACRIAP.

A APROSOJA-AP foi criada há 3 anos e congrega cerca de 35 produtores que atualmente trabalham em 19 mil hectares e geram 55 mil toneladas de grãos, contribuindo de maneira significativa para a retomada do crescimento do PIB amapaense em 1,2%, neste ano de 2017, gerando riqueza e empregos na região.

A ACRIAP, criada há pouco mais de 1 ano, a partir do modelo de atuação da co-irmã, APROSOJA-AP, congrega os maiores produtores do estado com cerca de 70% do rebanho, sobretudo de bubalinos, segundo maior do país. A instituição teve papel decisivo na união dos pecuaristas do Amapá, mobilizando pessoas e recursos voltados para as campanhas de vacinação contra a febre aftosa e furto de gado.

As duas instituições compõem a Câmara Setorial de Produção de Alimentos, a qual congrega organizações públicas e privadas ligadas ao desenvolvimento socioeconômico e se destacam como as entidades privadas que lideram todo o processo de implantação e crescimento do agronegócio no Amapá.

DEIXE SEU COMENTÁRIO ABAIXO: