Cianport e Ipiranga vencem leilão para novos investimentos privados no porto de Santana

Leilão de área no porto de Santana poderá movimentar R$ 60 milhões | Foto: Divulgação

Cleber Barbosa, da Redação

O município de Santana, de grande vocação portuária, foi incluído no pacote de leilões do Ministério da Infraestrutura para ter seu terminal portuário arrendado por um período de até 25 anos. O ministro Tarcísio Gomes de Freitas, assinou, ontem (9) oito contratos de adesão de Terminais de Uso Privado (TUPs) para ampliar a movimentação de cargas no Brasil. A iniciativa vai garantir investimentos de mais de R$ 235 milhões para as regiões Norte, Sul e Nordeste. Para o ministro, os contratos demonstram o acerto do governo na busca por parcerias com o investidor privado. “Vamos garantir um melhor abastecimento, ampliando a logística de diversas cargas em três regiões do país”, disse.

Um dos projetos aprovados é da Companhia Norte de Navegação e Portos S.A (Cianport), que assinou o contrato de adesão no Porto de Santana para a prorrogação de prazo do início de operação e alteração do cronograma físico do projeto. O perfil de cargas é de granéis sólidos e líquidos, denominado TUP (Terminal de Uso Privativo), na Ilha de Santana. O projeto está dividido em três fases, sendo a primeira a construção da infraestrutura de armazenagem, carga e descarga de grãos.

Um píer, com 300 metros de extensão, será implantado a 122 metros da margem e terá dois berços de atracação (um interno, para barcaças, outro externo, para navios). Para a armazenagem de grãos, estão previstos dois armazéns, com capacidade estática total de 180.000 toneladas.

Combustíveis 

Operações com navios de transporte de combustíveis em Santana | Foto: Arquivo CDSA

Ainda no pacote anunciado pelo Ministério da Infraestrutura, que totaliza R$ 223 milhões de investimentos, em seis contratos na região Norte, três são da empresa Ipiranga Produtos de Petróleo S.A. Em Santarém, no Pará, o contrato tem como objetivo a ampliação de capacidade de movimentação ou armazenagem da carga de granel líquido, como gasolina, diesel e etanol hidratado. Em Almerim, no Terminal de Munguba (PA), e no Terminal de Santana (AP), os contratos preveem a ampliação de área destinada a movimentação e armazenagem de granéis líquidos.

Em Manaus, no Amazonas, foram firmados contratos com a Petrobrás Distribuidora S.A para movimentação e armazenagem de granel líquido, que tem como objetivo ampliar a capacidade de movimentação para 125 mil m³. O prazo da autorização é de 25 anos. Ainda no estado, outro contrato, com a empresa Moss Serviços Portuário e Transporte LTDA, prevê a ampliação de área para movimentação de carga geral em 1.088m².

Confira vídeo com a apresentação detalhada do projeto logístico da Cianport 

DEIXE SEU COMENTÁRIO ABAIXO: