A história de surgimento da EMBRAPA para o fortalecimento do agronegócio no Brasil

O ano é 1970: o rápido crescimento da população e da renda per capita que, junto com a abertura externa do mercado, aumentam o consumo e a agricultura se intensifica no Brasil e, com ela, a necessidade de um olhar específico para as ciências agrárias.

Já existia no Ministério da Agricultura a discussão de um conhecimento científico aplicado à produção e ao desenvolvimento agropecuário capaz de dar suporte aos produtores nacionais.

O Ministro da Agricultura do período, Luiz Fernando Cirne Lima, constituiu um grupo técnico para formatar legal e financeiramente a instituição de pesquisa de apoio ao trabalho no campo.

Em 1972: 07 de dezembro, Emílio Garrastazu Médici, presidente da República, sancionou a Lei nº  5.851, que autorizando instituir empresa pública, sob a denominação de Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária, ligada ao Ministério da Agricultura. Nascia, então, a EMBRAPA.

1973:a empresa nacional teve seus estatutos aprovados, e em 26 de abri, José Irineu Cabral foi nomeado o primeiro presidente da EMBRAPA, enfatizando o inventário e a geração tecnológica para os pequenos e médios produtores, o incentivo às áreas de menor expressão na economia e a capacitação de recursos humanos.

No final de 1973, o Poder executivo extingue o Departamento Nacional de Pesquisa e Experimentação (DNPEA), e repassa suas responsabilidades e estrutura para a EMBRAPA com 92 bases físicas: 9 sedes dos institutos regionais, 70 estações experimentais, 11 imóveis e 2 centros nacionais. E passa a administrar todo o sistema de pesquisa agropecuária em nível federal.

1974:a criação dos centros de produtos por produtos regionais: Trigo (RS), Arroz e Feijão (GO), Gado de Corte (MS), e Seringueira (AM). Assim como no mesmo ano foram criados seus departamentos de Diretrizes e Métodos, Técnico-Científico, Difusão de Tecnologia, Financeiro, e Informação e Documentação.

Hoje, a EMBRAPA é a maior referência brasileira em soluções tecnológicas na produção agropecuária e no desenvolvimento do agronegócio e ajuda a consolidar o nosso país como um dos líderes mundiais na produção de alimentos, gerando 23% de nosso Produto Interno Bruto e 37% de todos os empregos gerados nesta pátria mãe gentil.

(Fonte: site EMBRAPA)

 

Juan Monteiro

Jornalista

 

DEIXE SEU COMENTÁRIO ABAIXO: