Livre de aftosa com vacinação, Amapá pode exportar rebanho, diz diretor da DIAGRO

Presidente da DIAGRO, José Renato Ribeiro (esq.) e Jesus Pontes (dir.) em Paris | Divulgação

Durante muitos anos, o Amapá ficou impedido de exportar carne de gado para outros estados e, até, para fora do país por causa da situação de alto risco para a febre aftosa. Esse entrave, porém, foi vencido com a entrega do certificado internacional de livre de febre aftosa com vacinação, concedido ao Brasil pela Organização Mundial de Saúde Animal (OIE), na quinta-feira, 24, durante a 86ª reunião da OIE, em Paris.

A certificação internacional veio cinco meses depois que o Amapá foi certificado pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento como livre de febre aftosa com vacinação. Durante a 86ª reunião da OIE, a unidade federativa amapaense, junto com outros estados da região Norte, foi reconhecido pelo esforço para se tornar livre de febre aftosa com vacinação, ajudando o Brasil a ser declarado com livre da doença.

O reconhecimento internacional abre caminhos para que o Amapá entre na posição de exportador de carne e gado competindo com outros países. O próximo passo, agora, será colocar o estado na condição de livre de febre aftosa sem vacinação. Atualmente, apenas o estado de Santa Catarina conseguiu o feito.

Imunização

De acordo com o auditor fiscal e médico veterinário Ádamo Favacho, o Amapá não registrava casos da doença, mas a falta de informações sobre a situação do gado, colocava em dúvida a condição do rebanho amapaense. “Hoje sabemos que nosso gado é sadio, 100% livre da febre aftosa”, acrescentou.

A certificação é fruto das ações do governo do Estado que, nos últimos anos, investiu em profissionais qualificados – médicos veterinários e auditores fiscais da Agencia de Defesa e Inspeção Agropecuária (Diagro) – e na conscientização dos produtores sobre a importância da vacinação.

“Algumas propriedades tiveram a vacinação assistida, ou seja, um profissional do Estado esteve presente no local para acompanhar todo o processo, desde o recolhimento do gado e conferência até a vacinação”, detalhou o médico veterinário.

O Estado do Amapá possui um rebanho com mais de 340 mil cabeças. Desses, mais de 270 mil são bubalinos, o que coloca o estado na segunda posição de maior rebanho do país. Segundo Favacho, a carne do búfalo é mais saudável, rica em proteínas e vitaminas e tem baixo colesterol.

1ª ExpoBúfalo

Para mostrar a potencialidade e a importância da criação de búfalo no estado, o Governo do Amapá vai realizar de 30 de maio a 2 de junho, no Parque de Exposição da Fazendinha, em Macapá, a 1ª ExpoBúfalo.

A programação terá mostra de aproximadamente 100 animais, oportunidade de negócios e comercialização, mesas redondas e palestras, oficinas e o lançamento do Plano de Desenvolvimento da Pecuária do Estado do Amapá – Promebul/Amapá.