Combate ao Coronavírus não pode levar o Brasil a parar de produzir alimentos, diz CNA

Alimentação hospitalar é uma das vertentes de atendimentos às vítimas da pandemia | Foto: Divulgação

A estratégia de contenção da pandemia do coronavírus, posta em prática em todo o mundo, com resultados muito positivos até agora, tem consistido em praticamente interromper os contatos sociais e paralisar todas as atividades sociais. Governos e sociedades responsáveis têm adotado esse caminho, que o Brasil também deve seguir. Essas restrições, no entanto, não podem ser absolutas. Hospitais, unidades sanitárias e todos os elos da cadeia de atendimento de saúde não podem deixar de funcionar plenamente, como é consenso de todos.

Para a CNA (Confederação Nacional de Agricultura e Pecuária), na mesma categoria, devem ser incluídas as atividades de produção e comercialização de alimentos, cuja demanda não será reduzida pela crise. Do contrário, se faltarem alimentos ou se houver irregularidades no abastecimento, a saúde das pessoas será afetada e a própria harmonia social, que tanto precisamos nessa hora, será atingida.

Compromisso

Por essas razões, o Sistema CNA, em nome dos produtores rurais brasileiros, assegura à população que continuaremos produzindo normalmente. “Esperamos que o Governo assegure que a cadeia de abastecimento seja protegida e garantido o seu funcionamento, com regras adequadas e com o suporte econômico que for necessário.  E que as autoridades estejam atentas para impedir qualquer tentativa de manipulação ou especulação por parte de maus brasileiros”, diz a entidade, em nota.

DEIXE SEU COMENTÁRIO ABAIXO: