Criadores do Amapá batem meta de vacinação do gado contra a aftosa

Estado permanece com certificação de 'Livre da Febre Aftosa', conquistado em 2017 | Foto: José Baia

Pelo quinto ano consecutivo o Amapá supera a meta de vacinação contra a febre aftosa. O relatório oficial aponta que a campanha de vacinação, realizada pelo Governo do Estado, atingiu o total de 97,1% do rebanho de bovinos e bubalinos em 2019.

Esse relatório foi entregue na sexta-feira, 13, ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa). A campanha de vacinação é de responsabilidade da Agência de Defesa e Inspeção Agropecuária do Amapá (Diagro).

O percentual ultrapassa o índice mínimo de 90% de cobertura vacinal estabelecido pelo Programa Nacional de Erradicação e Prevenção de Febre Aftosa (PNEFA). O resultado garante, ao estado, a permanência da certificação de “Livre de Aftosa com Vacinação”, conquistada em 2017.

Conforme o relatório, o Amapá aumentou em 18,7% a cobertura vacinal de rebanho entre os anos de 2014 e 2019. A campanha intensificada mudou os índices do período de 2011 a 2014, quando o estado teve queda de 9,2 % no trabalho de erradicação e prevenção da doença.

Durante encontro com representantes da Diagro e Associação de Criadores do Amapá (Acriap), o governador do estado, Waldez Góes, ressaltou os índices positivos apresentados. Segundo o chefe do Executivo Estadual, o Amapá segue no caminho certo para garantir maiores investimentos no setor agropecuário.

“O Amapá é um estado em potencial para produzir alimentos, e para isso é necessário que haja segurança sanitária. Com esse novo índice podemos dizer que estamos preparados para produzir para o mercado interno e externo”, destacou.

Para o diretor-presidente da Diagro, Álvaro Cavalcante, a marca vai possibilitar que os pecuaristas possam comercializar rebanhos e produtos derivados para outros estados, e, até, para fora do país.

“A certificação veio para qualificar nossos produtos, possibilitando que a gente possa fazer negócios com outros estados. Isso já incentivou um aumento na criação”, ressaltou Cavalcante.

A nova meta é alcançar, até 2021, a certificação de “Estado Livre da Aftosa sem vacinação”, que vai possibilitar ao Amapá entrar na posição de exportador de carne e gado competindo com outros países.

DEIXE SEU COMENTÁRIO ABAIXO: